segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Canção de intervenção...

Felizmente, vão aparecendo grupos musicais que não ficam indiferentes ao que se vai passando no nosso país, cheio de contrastes em que muito poucos ganham milhões e uns milhões ganham tostões, em que os jovens sobrevivem e só pensam em emigrar para poderem ter um pouco de qualidade de vida.
Esta canção de intervenção lançada na digressão nacional dos Deolinda irá ser editada no futuro e com certeza não será esquecida por quem vai vendo o marasmo deste país.Aqui vos deixo a letra para poderem lê-la e relê-la vezes sem fim ...

Que parva que eu sou

Sou da geração sem remuneração
E não me incomoda esta condição
Que parva que eu sou
Porque isto está mal e vai continuar
Já é uma sorte eu poder estagiar
Que parva que eu sou
E fico a pensar
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar
Sou da geração "casinha dos pais"
Se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou
Filhos, maridos, estou sempre a adiar
E ainda me falta o carro pagar
Que parva que eu sou
E fico a pensar
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar
Sou da geração "vou queixar-me pra quê?"
Há alguém bem pior do que eu na TV
Que parva que eu sou
Sou da geração "eu já não posso mais!"
Que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou
E fico a pensar,
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar

4 comentários:

Gonçalo disse...

Eu deixo o link:

http://www.youtube.com/watch?v=f8lo82tXbWU

Música bem conseguida, apenas falta dinâmica!

ENFº Enfermo disse...

Ok pus no mixpod.Passou a ser a primeira da minha lista de músicas.Obrigado

Kaspar House disse...

Geração rasca... e enfermeiros rasca.
http://nutrices.blogspot.com/

ENFº Enfermo disse...

Enfermeiros à rasca e não rascos.Com certeza terá sido um erro de escrita...